Seguidores

sábado, 26 de setembro de 2015

GODZORDER - OBEY (EP)


                   Ouvir esse primeiro trabalho do quarteto paulistano GODZORDER é extremamente perigoso. Ainda mais se houver objetos móveis por perto. Digo isso, meus amigos, pois é impossível ficar parado ou indiferente ao petardo que é esse EP. OBEY, lançado de forma independente e que foi gravado, mixado e masterizado no Daufembach Studio, em São Paulo e produzido pela própria banda juntamente com Adair Daufembach é, sem nenhuma sombra de dúvida, o melhor EP lançado esse ano! Thrash metal na veia, sem frescuras, invencionices.Um pouco de influência hardcore, um pouco de groove. Moderno e atual. Riffs, riffs e mais riffs. A única ressalva que fica é que são apenas 5 músicas? Demora muito pra sair o full lenght???

                   O grupo formado por Rafael Morassutti (vocal e baixo), Gustavo Salles (guitarra), André Fernandes (guitarras) e Marco Mingote (bateria) pratica um thrash metal bastante atual e calcado em riffs pesados, vocais rasgados e nervosos e muito peso na cozinha. Uma banda que precisa ser conhecida pelo público de metal desse país! O EP abre com abre com um riff cavalgado e com o pé na porta. Best Friend já mostra que a banda não está pra brincadeira e incorpora até passagens com blast beats, sem perder a característica thrash. Um belo solo e muito peso da dupla Rafael e Marco são os destaques da faixa. The Strongest Force começa cadenciada e pesada, mas logo em seguida a correria aparece e nos entrega uma pérola que evidencia a força do Rock n' Roll em sua letra. Aqui as guitarras de Gustavo e André (com uma bela timbragem) se destacam ao encaixar os riffs e solos de maneira agressiva.

                 Um baixo pesado anuncia Psycho Mind. Cadenciada em seu início, em seguida aquelas guitarras características ao estilo dão as caras e entregam mais um petardo, digno de abrir rodas e mais rodas de mosh, com um refrão que traz um vocal "urrado" e bem pesada. I'm Your Freedom, talvez seja a melhor faixa do trabalho. Escrevi "talvez" pois todas as faixas possuem um nível alto de qualidade! Cadenciada, pesada, com aquela paradinhas que só os "thrashers" tem a manha de fazer, a faixa alterna grandes riffs com solos, digamos, melódicos na medida certa. Break, a última faixa, inicia com um trabalho de baixo e bateria e ganha velocidade com riffs cortantes. No decorrer do EP, pode-se notar influências de nomes como Testament e Exodus (principalmente no vocal), mas nada que prejudique a personalidade da banda! Que, se o público de metal nesse país, souber valorizar, vai figurar entre os grandes nomes do cenário! Pra bater a cabeça até rachar!!!!




    Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário