Seguidores

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

VETOR - CHAOS BEFORE THE END


           
                   Um cd que não deve nada ás bandas internacionais. Tanto nas composições, como na excelente produção. Praticando um Heavy Metal com forte acento Thrash, mas bastante atual, o quinteto santista VETOR, estréia com CHAOS BEFORE THE END, que chega ao mercado via Shinigami Records. O grupo existe desde 2001, mas só agora lança seu primeiro trabalho. E se você pensa que foi muito tempo, você está certo. Mas essa demora faz valer a pena cada música que consta nesse excelente trabalho. Guitarras pesadas, riffs sujos e agressivos, baixo e bateria modernos (e não mudérnos) e vocais que se encaixam muito bem na proposta do grupo. Produzido por Anibal Pontes, os instrumentos ficarm bem nítidos e pesados. A mixagem e masterização ficaram á cargo do renomado Fredrik Nordström no Fredman Studio, na Suécia e completou de forma grandiosa o trabalho.

                  O grupo composto por Eduardo Júnior (vocal), Ricardo Lima (guitarra), Pedro Bueno (guitarra), Luiz Meles (baixo) e Afonso Palmieri (bateria) - as guitarras base foram gravadas pelo ex-guitarrista Luciano Gavioli - Capricha no peso/agressividade em todas as faixas, mas nem por isso esquece da melodia. A sonoridade, por vezes remete ao Nevermore, mas com personalidade própria. O vocal de Eduardo Júnior lembra um pouco o de Matthew Barlow (ex- Iced Earth), mas tem mais variação, indo do melódico ao mais agressivo com desenvoltura. Além de tudo isso, o cd vem com um belo trabalho gráfico. Tudo isso, em conjunta com a técnica dos músicos, fazem do trabalho, algo imperdível!

                 Intro/Religious Falsehood abrem o cd de forma brilhante. Guitarras pesadas com variações bem executadas vão de encontro a agressividade da cozinha, onde a bateria de Afonso Palmieri se destaca. Solos agressivos e melódicos na medida, fazem da faixa um dos destaques do trabalho. Strike Command, a segunda faixa, traz bateria e baixo muito bem entrosados, enquanto as guitarras aliam peso e melodia de forma muito interessante. Eduardo Júnior mostra versatilidade com seu vocal por ora agressivo, ora mais melódico. A faixa título Chaos Before the End dá seqüência e mantém o alto nível do cd, onde os riffs pesados se mantém, mostrando uma variedade no andamento que engrandece a composição. My Torment inicia com uma marcação de bateria e riffs mais acessíveis, mas nem por isso "leves". Toques mais "heavy" se apresentam, deixando a agressividade mais amena.

                 New Limits Within Procreation traz as guitarras á frente, mas encontram um excelente trabalho da cozinha, com destaque para o baixista Luiz Meles. Vocais bem variados e doses cavalares de agressividade ditam o ritmo aqui. In The Sound of The Wind mantém a agressividade e o trabalho das guitarras mostra uma complexidade nos riffs que são muito bem executados. Vetor, inicia com guitarras que lembram as bandas de metal dos anos 80, mas em seguida, adentram o período atual e trazem belos solos. Os vocais de Eduardo soam bastante agressivos em certas passagens. Endangered Species encerra o trabalho trazendo vocais agressivos, paredes de guitarra, cozinha pesada e dá ao álbum, um fechamento em grande estilo.

                 Peso e agressividade se encontram de forma perfeita com a melodia no som do grupo. Mas quando escrevo melodia, não leia "suavidade", pois a banda imprime doses generosas de agressividade em seus riffs, e o trabalho de baixo e bateria não dá descanso em nenhum momento. Um vocal com variações muito bem executadas e muita qualidade nas composições. Uma produção que deixou tudo de forma clara e suja ao mesmo. Esse conjunto de virtudes fazem de Chaos Before the End um dos melhores lançamentos nacionais do ano! Ouça no volume 10!




Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário