Seguidores

terça-feira, 12 de abril de 2016

RADIOACTIVE MURDER - VIOLENT FORCE (EP)



               Na maioria da vezes, a capa de um álbum, nos entrega o estilo adotado pela banda em questão. Claro que existem exceções. Mas geralmente, isso acaba acontecendo. E, confirmando a regra, o RADIOCTIVE MURDER, de Florianópolis, Santa Catarina, lançou em 2014 o EP VIOLENT FORCE, que vem a corroborar isso. Impossível ver essa capa e não associar á um thrash metal old school, violento e com algumas pitadas de death metal. Com forte influência da cena alemã (Kreator e destruction á frente),  mas também de bandas que praticam um thrash mais atual (Toxic Holocaust, Municipal Waste, entre outros), a banda passa seu recado de forma consistente.

               Formada em 2012,  a banda é composta por Lucas Alucinatör (vocal), Adrain Arruda (guitarra), André Barreto (baixo) e Anderson Vieira (bateria). Com uma produção correta, que soube manter o peso e sujeira necessários ao estilo (mas que poderia ser um pouquinho mais caprichada), o grupo traz neste EP de estréia, 5 composições onde podemos notar que o thrash corre na veia dos integrantes. Guitarras sujas e pesadas, um baixo forte (com aquela sonoridade "gorda") e bateria alucinada, caracterizam o som praticado pelo bom grupo catarinense.

               Only Death abre o trabalho com uma pegada pesada e suja. O vocal de Lucas se destaca pois ele consegue cantar de forma mais rasgada e por vezes, de forma gutural. Um misto de thrash/death. A guitarra de Adrian solta riffs sujos, enquanto o baixo de André carrega no peso, deixando a baterista de Anderson sentar a mão em passagens mais trabalhadas. Além da brutalidade, vale destacar a boa técnica dos músicos. Violent Force é mais direta e mostra um Lucas "alucinado"! Por vezes lembrando o vocal do velho Schmier (Destruction), o vocalista transpassa muita fúria nesta faixa. A guitarra novamente imprime uma dose de riffs pesados e agressivos. O baixo comanda Bringer of Hate. Com uma pegada que tem muito do thrash mais old school, a faixa possui um instrumental mais trabalhado. Aqui o vocal de Lucas ganha entornos de death metal, principalmente pelo gutural do refrão. Beer, sintomática faixa, possui uma levada que nos remete as bandas de hoje, mas que mantêm a aura oitentista em seu som. Curta e direta, o refrão, apesar de simples, gruda na mente! A última música do trabalho, Thrash, Beer and Destruction, não só pelo título, me lembrou um pouco o que o Tankard faz com maestria. e pode resumir bem o ue faz o grupo. Um thrash agressivo, direto e eficiente!

              Pelas informações que pesquisei, o RADIOACTIVE MURDER dedicou o ano de 2015 á novas composições e em breve, agora em 2016 deve lançar um novo trabalho, dessa vez, um full lenght. Que mantenham essa pegada!



    Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário