Seguidores

terça-feira, 10 de maio de 2016

CAVERA - UNFIT FOR RATIONAL CONSUMPTION



                 Apostando em uma sonoridade repleta de influências atuais, o grupo CAVERA da cidade de Carlos Barbosa (RS), chega com UNFIT FOR RATIONAL CONSUMPTION. Um trabalho onde o thrash metal encontra uma forte dose de groove, além de trazer uma sonoridade moderna. Num primeiro momento, podemos fazer um comparativo com o System of a Down, mas os gaúchos injetam uma maior dose de peso, onde as guitarras usam de uma timbragem mais "suja". Com um instrumental bastante técnico, o grupo mostra boas composições aliadas á arranjos muito bem estruturados.

                Rodrigo Rossi (vocal e guitarra), Catiano Alves da Silva (guitarra, backing vocal), Leandro Mantovani (baixo, backing vocal) e Emerson Luiz dos Santos (bateria) fazem um som que tem groove, peso, velocidade e muita quebradeira. Viradas surgem do nada, mas se encaixam na sonoridade da banda que sabe dosar bem essa virtude. A produção do álbum ficou sob o comando de Ernani Savaris e ficou boa, apesar de que poderia ficar um pouco mais "polida", devido á forte gama de influências do grupo, mas não comprometeu o resultado. A arte gráfica ficou muito bonita, pois traz á tona um pouca da "loucura" que o grupo apresenta em suas composições.

               Collision abre o álbum como se fosse uma introdução e um convite ao que teremos pela frente. Creatures vem pesada e carregada de groove, mostrando a técnica apurada da dupla Leandro e Emerson (baixo e bateria respectivamente). As guitarras trazem o timbre mais sujo, mostrando conexão com o que temos hoje em dia. Já o vocal, por vezes nos lembra o de Serj Tankian (System of a Down), mas possui maior desenvoltura. Em Mental Killer, a quebradeira já começa ditando o ritmo, enquanto as guitarras despejam bons riffs. Variando entre momentos mais "suaves" e a insanidade, a faixa tem bom desempenho. Controlled By The Hands é uma faixa mais brutal, mas que mantém o groove característico que permeia o trabalho. Sem muitas firulas, a faixa é mais direta, mas possui variações interessantes. Little General  é outra que traz muita variação e tem uma bela performance de bateria, e mostra um vocal que por vezes soa gutural causando um contrate interessante. Glistening Lips é mais marcada, com um ritmo mais cadenciado e tem uma "sujeira" que dá um toque mais pesado á composição.

                Seven é conduzida por mais uma grande performance da cozinha. Aliás, o peso que emana do trabalho tem nesse setor seu grande responsável. Em Snuff Box, o baixo cheio de groove se destaca, enquanto as guitarras despejam riffs sujos. Essa talvez seja a faixa que mais guarda semelhança com o que se faz hoje em dia, principalmente se tivermos como referência o System of a Down (uma das grandes influências do grupo). Time To Die apresenta riffs mais diretos, mas sem esquecer das quebradas de ritmo e do baixo "gordo", que dá uma personalidade própria ao grupo. Calhordas, apesar do nome em português, é cantada em inglês e é um soco direto na boca do estômago. Unnamed Pills tem um ar mais caótico, usando de quebradas e levadas um pouco destoantes do que a música pede. More Lies é uma das melhores faixas, pois sintetiza bem a proposta do grupo. Agressiva, pesada, grooveada, numa linha bem moderna. E o encerramento vem com La Strega Rossa/Senza Cura, cantada em italiano e que ganhou uma atmosfera bem diferente em virtude disso.

               Uma das únicas coisas que poderia ter sido melhor utilizada é a duração do CD. São 13 faixas e em certos momentos, a audição pode ficar cansativa. Mas não causa demérito ao trabalho, até porquê a qualidade apresentada aqui é muito boa. UNFIT RATIONAL FOR CONSUMPTION é um álbum que pode mudar o pensamento daqueles que pensam que o momento atual do metal considerado "mais moderno" segue uma certa mesmice. O CAVERA vem provar que não é assim a história e que ele é a prova viva de que o estilo tem muito a oferecer!


      Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário