Seguidores

domingo, 15 de maio de 2016

OMEN - HAMMER DAMAGE



               Formada em 1983, Los Angeles (EUA), pelo guitarrista Kenny Powell, a banda OMEN lançou seu primeiro trabalho em 1984. Battle Cry é considerado, para muitos apreciadores do heavy metal tradicional, um dos clássicos do estilo naquela época. Não diferente, seu sucessor, Warning of Danger (1985) manteve a qualidade e transformou a banda em um dos principais nomes do power/speed metal daquele período. Depois disso, o grupo lançou mais dois trabalhos e se manteve afastado da cena. Em 1996, após algumas mudanças de formação, o grupo retorna e vem lançando trabalhos, mas em uma freqüência um tanto quanto irregular. Mas o que ouvimos em HAMMER DAMAGE, que foi lançado pela Pure Steel Records, é aquele metal bem característico, cheirando á anos 80, mas com uma pegada mais atual.

            Composta hoje por Kevin Goocher (vocal - Phantom X), Kenny Powell (guitarra), Andy Hass (baixo) e Steve Wittig (bateria - membro original que havia deixado o grupo em 1987, mas que retornou ao seu posto em 2012), a banda chega agora em 2016 ao seu sétimo trabalho de estúdio. O vocal de Kevin Goocher lembra um pouco o de Udo Dirkscheneider em certos momentos, mas possui uma veia mais na linha do metal americano. Kenny Powell segue criando bons riffs, enquanto a cozinha trata de imprimir uma boa dose  de peso ao som do grupo. A produção, apesar de tentar resgatar a sonoridade dos gloriosos anos 80, acaba pecando, pois deixa o som um tanto quanto "defasado", mas não impede que as composições repassem sua força e energia. E a  capa, merece destaque! Que belo trabalho, resgatando a atmosfera e clima das capas clássicas do grupo.

           O trabalho tem início com a faixa título. Hammer Damage tem uma pegada típica, buscando trazer aquela sonoridade que é peculiar ao grupo. A guitarra diat o ritmo, despejando bons riffs, enquanto a dupla Andy e Steve (baixo e bateria), se encarregam de criar uma base sólida. O vocal cheio de personalidade de Kevin mostra que a escolha foi acertada. Chaco Canyon (Sun Dagger) tem uma levada mais cadenciada, bem marcada. É daquelas faixas que a "air guitar" surge e que nos faz cerrar os punhos! Apesar disso, a faixa possui momentos mais amenos, que acabam fazendo com que a composição acabe passando um pouco do ponto. Já Cry Havoc é puro Speed/power metal, como só as bandas old school sabem fazer. As guitarras trazem aquelas harmonias cheias de punch, enquanto o vocal imprime sua personalidade. A épica Eulogy for a Warrior poderia ter ficado melhor, pois as linhas e arranjos ficaram bons, mas faltou alguma coisa, Talvez uma maior dose de peso. As "espadas" surgem em Knights, que tem em sua execução o que faltou na faixa interior. Uma composição com a cara do "true" heavy metal americano!

          Hellas mantem a aura épica, se transformando em uma boa faixa que transita pelo speed metal sem esquece da harmonia do power metal. E esse mesmo power metal segue firme e forte em Caligula. Uma faixa cheia de variações e boas melodias, que mostra o nível técnico dos músicos de forma clara. Os backing vocals no refrão também ficaram bem encaixados. Era of Crisis tem belas melodias na guitarra. Com uma pegada bem "heavy", o trabalho do baterista Steve Wiggit se destaca, não sem também citar o bom trabalho do baixista Andy Hass.  O encerramento vem com a pesada e muito bem estruturada A.F.U. Uma faixa instrumental onde os músicos provam toda sua versatilidade em uma linha mais trabalhada. Os solos de Kenny Powell se destacam. Uma pena que a faixa acaba abruptamente.

         Mesmo longe dos holofotes, o grupo lança um trabalho relevante, 13 anos após seu último trabalho de estúdio. HAMMER DAMAGE pode e deve recolocar o OMEN como um dos grandes nomes do heavy/power metal americano. Uma banda que, mesmo resgatando suas características dos áureos tempos, sabe ser atual sem se vender ou perder sua personalidade.



          Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário