Seguidores

segunda-feira, 18 de julho de 2016

APOKATHILOSIS - WHERE ANGELS FEAR TO TREAD




               Black Metal. Se formos aprofundar mais, poderíamos colocar "á moda antiga". Dessa forma, podemos classificar o som praticado peo grupo APOKATHILOSIS. Na realidade, o duo formado por dois brasileiros, foi formado em 2013 e está estabelecido na Irlanda, mas precisamente em Dublin e em 2015 lançou WHERE THE ANGELS FEAR TO TREAD, onde o resgate áquele black metal mais ríspido, cru e direto se mostra bastante evidente. Para os apreciadores desta vertente, temos aqui, algo que irá agradar em cheio.

              Formado por Felipe Roquini (vocal, guitarra, baixo) e Marttjn Rvbjn (guitarra) e tendo uma bateria programada (mas que passa batido, pois quase não dá para perceber isso), a dupla capricha num metal negro, denso, pesado e totalmente obscuro. Gravado e produzido por Felipe Rosquini no Advaita Studio em Dublin, o trabalho ficou com uma sonoridade perfeita para a proposta do grupo. Se por um lado não temos orquestrações, corais e "camas" de teclado, por outro temos toda a morbidez e agressividade do black metal clássico. Além disso, o álbum vem em um belo digipack e com uma bela rate gráfica.

            Contendo seis faixas, o álbum abre com Awaken Thee. Com uma linha bem tradicional, a música transpassa um clima de agonia e agressividade, trazendo riffs típicos do black metal, mas com variações bem estruturadas em sua composição. O vocal de Felipe é "rasgado", o que deixa a sonoridade mais ríspida. A faixa título, Where Angels Fear To Tread, tem um baixo bem destacado, Nada de passagens orquestradas, melódicas e sinfônicas. Apenas aquilo que consagrou o black metal como um estilo reto, duro e intenso. Ashes, a terceira faixa, é uma das melhores. Com guitarras que trazem certa influência do thrash metal, a faixa possui boas variações em sua estrutura, culminando com uma dose extra de brutalidade, principalmente nos vocais, que são carregados de ódio e fúria.

           E tome black metal cru é direto em To Die a Thousand Deaths. Apesar do estilo por vezes se tornar repetitivo, aqui, a  banda não deixa isso acontecer. Os riffs não se mostram cansativos e as linhas da bateria (mesmo que programada) tem qualidade. The Untameable Human Spirit possui uma atmosfera que em certos momentos, nos remetem ao death metal, mas não perdem o "jeito de ser" black metal do grupo. E com isso, se torna um dos destaques do trabalho. O encerramento vem com Synchronicity. Uma das faixas mais trabalhadas e bem arranjadas do trabalho. Guitarras á frente e muita agressividade encerram o álbum de forma eficiente.

          Como dito anteriormente, este trabalho vai agradar em cheio os apreciadores do metal negro. Um álbum guiado por guitarras sombrias e climas obscuros merece o reconhecido dentro da cena. Que mais trabalhos como esse possam vir do grupo APOKATHILOSIS.




    Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário