Seguidores

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

DEATH CHAOS - PROLOGUE IN DEATH & CHAOS (2016)




                    O metal extremo é um dos estilos que mais gera bandas de qualidade no Brasil. Não precisa ser um exímio conhecedor da cena nacional para que se constate isso. E, mais uma vez, a regra se confirma. O DEATH CHAOS, formado em 2014 em Curitiba, é um grupo que pratica um death metal muito bem elaborado, técnico e brutal. Com apenas dois anos de atividades, a banda mostra que não é acomodada e nem fica com aquele discurso de que "precisamos de apoio" (obviamente que todos precisam, mas se não fizer por merecer, como conseguir isso?), etc. Isso fica provado em PROLOGUE IN DEATH & CHAOS, seu primeiro EP. Inspirado, o trabalho deixa claro que em termos de agressividade, o metal brasileiro segue sendo referência.

                         O grupo é formado por Denir Deathdealer (vocal/baixo), Júlio Bona (guitarra), David Oliver (guitarra) e Ueda (bateria) e mostra em apenas 5 faixas um enorme potencial. Apostando num death metal direto, pesado e agressivo, o grupo ficou encarregado da gravação, produção, mixagem e masterização do trabalho. Dessa forma, a sonoridade ficou de acordo com a proposta apresentada por eles. Suja, brutal e totalmente "old school" ( mas com uma cara bem atual). Com isso, o grupo mostra personalidade e demonstra claramente que sabe o que quer. O quê, nos dias de hoje, conta e muito, á favor da banda.

                       Uma introdução densa, introspectiva e bastante sombria abre You Die I Smile. Riffs agressivos e uma cozinha que não vê concessões na hora de sentar a mão, fazem da faixa um cartão de visitas, pois deixa nítida a real intenção do grupo: fazer death metal, como o death metal deve ser! Preste atenção nas guitarras de Júlio Bona e David Oliver. A sujeira e peso que ouvimos mostra que o estilo corre na veia dos músicos. Death Division é mais brutal e direta. Aqui, os solos se destacam por fugir um pouco da linha mais tradicional, o que não atrapalha em nada a execução da faixa. Muito pelo contrário! Mostra que o grupo busca incorporar elementos mas sem perder sua identidade. House of Madness é uma faixa mais cadenciada, explorando a técnica dos músicos. Um grande trabalho da dupla Denir e Ueda (baixo e bateria, respectivamente). Denir também capricha nos vocais, com versatlidade. Erased Sky é uma faixa sombria, arrastada. As guitarras aqui criam um clima bem denso,"carregado", o que deixa tudo mais pesado. O encerramento vem com apedrada You Are Not You, onde mais uma vez, a dupla Júlio e David mostram grande entrosamento nas seis cordas. 

                     O DEATH CHAOS apresenta um nível muito bom neste seu EP de estréia. PROLOGUE IN DEATH & CHAOS é um trabalho que não apenas serve para introduzir o grupo no cenário, como também para mostrar o potencial destruidor que a músico do grupo curitibano possui. Se com apenas dois anos de carreira já fomos "presenteados" com músicas assim, imaginem o que virá pela frente? Death Metal para quem gosta de Death Metal!
               





             Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário