Seguidores

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

VADER - THE EMPIRE (2016)



                 E uma das maiores instituições do death metal lança mais um grande trabalho. Os poloneses do VADER soltam seu 11° álbum de inéditas e seguem mostrando ao mundo a fúria e agressividade de sua música mortal. THE EMPIRE vem para coroar os 33 anos de carreira do grupo e tem seu lançamento feito por aqui em mais uma parceria da Shinigami Records e Nuclear Blast, que vem fazendo aos bangers brasileiros um grande trabalho. Sem nenhum tipo de concessão ou "modernidade", a banda apresenta 10 faixas com guitarras ríspidas, bateria rápida e mortal e muita sede de death metal. Cabe lembrar que o álbum, neste versão nacional, traz consigo o EP "Iron Times", que conta com mais quatro faixas. 

                        Atualmente o grupo é formado por Piotr "Peter" Wiwczarek (vocal e guitarra), Marek "Spider" Pajak (guitarra), Tomasz "Hal" Halicki (baixo) e James Stewart (bateria). Mesmo com uma constante troca de integrantes, a banda consegue manter sua identidade. Muito disso se deve ao fundador e mente criativa do grupo. "Peter" sabe exatamente o que quer e como a banda deve soar e isso se mostra desde o início das atividades do grupo. Se no início o grupo apostava em uma pegada mais próxima do thrash, com o passar dos anos o death metal brutal e agressivo foi se moldando e transformou o VADER em referência mundial do estilo. E mais uma vez a produção ficou com excelente nível e aqui, sob a responsabilidade dos Wieslawski Brothers, soube deixar tudo num grau de agressividade e peso muito bons. A capa é uma obra do renomado Joe Pentagno, que já trabalhou com Motorhead, Manowar, entre outros...

                        Composto de dez faixas, o álbum mantém uma regularidade em suas composições, mas algumas faixas acabam se destacando. Logo na abertura com a brutal Agents of Steel, podemos perceber que o vocal de Peter segue insano, o que se tornou praticamente uma marca registrada do grupo, pois o guitarrista/vocalista conseguiu imprimir um forte traço de agressividade que poucos vocalistas do estilo conseguem. Assim como em Tempest, onde as guitarras despejam riffs totalmente death metal enquanto baixo e bateria dão aula de como uma cozinha do estilo deve soar. Um "quê" de thrash metal se faz presente em outra boa faixa, Prayer To The God Of War. Por outro lado uma levada mais cadenciada em Iron Reign garante doses cavalares de peso. Genocidus é outra faixa mais típica, mas bastante ríspida e direta. The Army-Geddon possui uma aura sombria, apesar da brutalidade que a bateria de James Stewart imprime aqui. Parabellum é rápida e tem um solo bem agressivo. 

                       O álbum conta ainda com o EP Iron Times, que traz duas faixas que estão no trabalho (Prayer to the God of War e Parabellum) e duas versões. Uma para Piesc I Stal da banda Panzer X e outra para a imortal Overkill, do Motorhead que, com toda a certeza, deixou Deus orgulhoso!

                         THE EMPIRE vem para mostrar que a máquina polonosa de fazer death metal continua insana. O VADER além de servir como referência para muitas bandas do estilo, se mostra ainda relevante com mais de 30 anos de carreira. E isso, meus amigos, é para poucos!






                 Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário