Seguidores

sábado, 25 de março de 2017

AVERSIONS CROWN - XENOCIDE (2017)



                    O Death Core é um estilo que, geralmente, desperta duas sensações bastante distintas. Ou você ama ou você odeia. E isso de certa forma acaba causando algumas injustiças no mundo do metal. Por causa desse tipo de pensamento, boas bandas acabam passando despercebidas para alguns. Mas aqueles que não se prendem á rótulos têm sempre a oportunidade de conhecer bandas que investem em sonoridades distintas. E isso ocorre com o AVERSIONS CROWN, que chega agora ao seu terceiro trabalho, o mais pesado até aqui. XENOCIDE foi lançado por aqui em mais uma parceria Shinigami Records/Nuclear Blast.

                 O grupo australiano é composto por Mark Poida (vocal), Chris Cougan (guitarra), Mick Jeffrey (guitarra), Steve (baixo) e Jayden Mason (bateria). Em XENOCIDE a produção ficou por conta de Mark Lewis (Whitechappel, Carnifex) que deixou tudo muito pesado, e a mesmo tempo limpo. Principalmente nas guitarras, onde a dupla Chris e Mick esbanjam categoria e agressividade. Com uma sonoridade que vai do thrash ao death e ao hardcore, o grupo consegue prender a atenção do ouvinte de forma cativante. E olha que quem está falando isso é um cara que não morre de amores pelo estilo!

                   Nas doze faixas que compõem o álbum, a banda mostra grande capacidade técnica aliada a uma ótima qualidade na criação dos arranjos, criando algo bem pessoal. O vocalista Mark consegue ir do gutural ao mais rasgado sem soar forçado, enquanto o baterista Jayden destrói seu kit sem piedade. Tudo isso pode ser conferido em faixas como Prismatics Abyss, The Soulles Acolyte (grande trabalho da dupla Chris e Mick, que misturam peso e melodia de forma excepcional!), Hybrizidation (uma das melhores do álbum), Ophiophagy (Jayden prova que é um baterista muito acima da média) e The Oracles of Existence (mais uma vez, a dupla de guitarrista se destaca).

                    O AVERSIONS CROWN tem apenas sete anos de estrada, mas já tem três álbuns de estúdio e mais dois EPs. Produzindo muito, o grupo mostra que não gosta de se acomodar. E esse resultado só poderia ser positivo. XENOCIDE merece ser ouvido com atenção para que se possa apreciar toda a sua qualidade!



                      
                     Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário