Seguidores

quarta-feira, 26 de abril de 2017

ROADIE METAL - VOLUME 9 (2017)



                      Lutar pelo underground não é tarefa das mais simples. Muito menos das mais fáceis. Ainda mais se pensarmos que estamos no Brasil. Um país que tem por hábito, enaltecer a música sem qualidade e que serve apenas para "distrair" a população. Mas graças aos deuses do rock, nós, apreciadores da música honesta e de qualidade podemos contar guerreiros e batalhadores da cena por aqui. E um deles é o brother Gleison Júnior que vem levando a cabo uma das mais importantes coletâneas do estilo neste pobre e mal administrado país. A ROADIE METAL chega ao seu VOLUME 9, trazendo nada mais nada menos do que 34 bandas dos mais variados estilos provando que o rock, seja em qual vertente for segue firme  forte por aqui.

              Como sempre, mas nunca é demais relembrar, a ROADIE METAL é distribuída gratuitamente. Ou seja, você conhece muitas bandas de forma gratuita, sem precisar fazer nenhum tipo de download pela internet. Com a mais bela capa de todas as edições (na minha opinião), fia difícil fazer um comparativo entre as edições, mas que esta edição concorre seriamente ao posto de uma das melhores, isso não há como negar. Sem contar com um "medalhão" (algo que ocorreu em algumas edições passadas, a coletânea segue firme e forte na luta e divulgando bandas que estão na batalha para conseguir um lugar ao sol neste disputado cenário que é o underground brasileiro.

                          Nos dois cds temos a divisão em 17 faixas cada um. No primeiro podemos destacar, apesar da homogeneidade, algumas bandas que acabam por mostrar maiores atributos, como é o caso da Ruins of Elysium, que pratica um epic symphonic metal com vocais masculinos, sendo no caso um tenor (!?), a pegada rocker/thrasher da Older Jack, o metal alternativo e pesado da Pato Junkie, o rock psicodélico e pesado da Stoneria, o rock pesado com nuances puxadas para o lado alternativo do Cálida, o metal tradicionalmente old school do Stonex, o metal com influências de Chico Science e a turma do Mangue Beat do Ozome, o rock bem trabalhado e bem produzido do Marco Zero e o bom heavy metal da Indominus (que peca apenas pela produção, que deixou a música do grupo um pouco aquém do que ficaria com uma melhor apresentação).

                       No segundo CD, temos o início com a banda Heavenless, que pratica um metal pesado, intenso e cheio de ódio,  e seguimos com o Core Divider com seu thrah/groove a lá Pantera, o heavy metal cheio de peso do Concept of Hate, o Vultures com sua pegada blackened thrash, a virtuose  e classe do guitarrista Patrick Pedroso, o Elizabethan Walpurga com seu metal por vezes tradicional, por vezes black, o metal blasfemo e profano do Sagrav e o som inspirado em Misfits e cheio de horror do Rinits Horror Show.

                          Como dito também nas edições anteriores, muito mais do que uma simples coletânea, A ROADIE METAL presta um enorme serviço À nação headbanger e fã de rock do Brasil. Aqui pouco importa a qualidade da gravação. O que vale  e muito aqui é o amor e dedicação ao underground, que faz com que qualquer pequeno deslize (e sim, nesse tipo de trabalho isso sempre acaba acontecendo) passe despercebido tamanha a relevância do material. mais uma vez, parabéns ao Gleison Júnior por acreditar e seguir na batalha pelo underground. Que venham mais e mais coletâneas desse nível!

     
                      Sergiomar Menezes

     

                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário