Seguidores

sábado, 15 de abril de 2017

STONEX - SEEDS OF EVIL (2015)



           Formada em 2012 em Aracaju, Sergipe, a banda STONEX mostra, mais uma vez, que o Nordeste brasileiro é rico e prolífico quando o assunto é Heavy Metal. Exemplos não faltam. Jackdevil, Fúria Louca, Headhunter DC, entre outras, são  aprova viva que, independente do estilo adotado, o Metal vive e pulsa firme e forte naquela região. E os sergipanos não fogem à regra. Sem um estilo definido, mas flutuando entre o metal dos anos 80 (com uma maior influência da NWOBHM), mas investindo em várias vertentes, o hoje quinteto, lançou em 2015, de forma independente, o EP SEEDS OF EVIL, contando com 4 faixas que carregam consigo, aquela atmosfera típicamente oitentista, mas sem se prender ao passado.

                Na época do lançamento, o grupo era formado por Ramon Guerreiro (vocal), Marcelo Hazz (guitarra), Atilio Bass (baixo) e Adriano Cardoso (bateria). Hoje, após  a saída de Atilio, o grupo conta com Alessandro Mongini nas quatro cordas, enquanto que houve a adição de mais uma guitarra, à cargo de Dálvaro Soares. O trabalho foi gravado no Rikeza Sonorização entre agosto e setembro de 2014 e foi produzido pela própria banda e Riqueza, e dentro de suas imitações, ficou de bom nível. Com uma sonoridade calcada entre o que Iron Maiden e Judas fizeram em seus áureos tempos (se bem que ambas as bandas estão nesses áureos tempos há muito tempo...), o grupo traz riffs inspirados, cozinha bem trabalhada e um vocal que foge um pouco das características "normais" do estilo. Cantando de forma mais rasgada, Ramon mostra personalidade, mas em alguns momentos, acaba ficando um pouco aquém do que a música pede. Nada que o tempo de estrada e alguns ajustes na hora da produção não resolvam. E, não esqueçamos, este é o primeiro trabalho do grupo. E o que ouvimos nas quatro faixas aqui presentes, vemos que o grupo tem futuro.

                 Dressed in Black tem guitarras bem timbradas e uma veia na linha anos 80. O solo ficou muito bom, enquanto a cozinha, mostra entrosamento, com linhas bem variadas e pesadas. O que acaba "pecando" aqui, é uma maior definição quanto ao que o grupo pretende daqui pra frente, pois apesar de bem composta e executada, a faixa nos traz aquela sensação de déjà-vu, pois parece que já escutamos isso alguma vez. Electric Sky já tem guitarras mais voltadas aos anos 70, com um quê de Sabbath/Led/Purple. A guitarra, mais uma vez, ganha destaque, com passagens bem estruturadas. Se na faixa anterior, tínhamos uma veia anos 70 bem perceptível, em Maggots On My Brain, o bom e velho Sabbath surge ainda mais imponente. Marcelo Hazz se mostra um grande guitarrista pois seus riffs não se mostram repetitivos nem sem criatividade. O encerramento vem com Master of the Pit, uma faixa que resume bem as influências do grupo. Mesmo tendo uma levada tipicamente heavy metal old school, podemos ouvir ecos de hard rock em sua estrutura, o que mostra que o gruo não se limita aos estereótipos muitas vezes criados pelo "estilo".

                   O STONEX em seu trabalho de estréia mostra que tem potencial para buscar seu lugar ao sol no disputado cenário nacional. SEEDS OF EVIL possui boas composições, mesmo que o grupo ainda esteja começando, é necessário pensar melhor algumas passagens e também, algumas linhas de composição, para que não sejam apenas mais uma banda no estilo. Talento e criatividade eles demonstram ter. Basta uma pequena lapidada para o próximo trabalho.





              Sergiomar Menezes
                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário