Seguidores

terça-feira, 14 de novembro de 2017

TALES FROM THE PORN - H.M.M.V. (2017)




                  HARD ROCK! Com todas as letras maiúsculas! Sim, meus amigos! Eis que um dos melhores álbuns lançados no Brasil neste 2017 chega por aqui. E não há nenhum exagero no que escrevo. O que temos aqui é aquele mais puro Hard Rock indicado para fãs de Ratt, Mötley Crüe, Guns N' Roses, Tuff, Dokken e afins. O TALES FROM THE PORN é uma banda brasileira que conta com os vocais de Stevie Rachelle (Tuff). E essa união ficou excelente, pois o timbre de Rachelle combinou perfeitamente com a sonoridade do grupo, que aposta naquele Hard sujo, com a típica malícia dos anos 80. H.M.M.V. (Heavy Metal Minha Vida) mostra que o estilo está muito bem representado no país!

                        Formada pelo já citado Rachelle no vocal, Andy Sun (guitarra), Bruno Marx (guitarra, backing vocal), Bento Mello (baixo, backing vocal, Sioux 66), Igor Goddoi (teclados e backing vocal, Sioux 66)  e Edgar Avian (bateria, Supla), a banda mostra um feeling que impressiona, tamanha a qualidade e pegada, remetendo aos grandes nomes do Hard Rock. Obviamente que a presença de Stevie Rachelle ajuda, afinal, estamos falando de um músico que esteve presente naquela época mágica do estilo (lia-se anos 80). Mas o grupo não se resume apenas ao americano. Andy Sun e Bruno Marx formam uma dupla certeira, com riffs e solos na medida! Os backing vocals ficaram muito bem encaixados também. O álbum foi produzido, mixado e masterizado por Henrique Baboom, no Toque Final Mix & Master, em São Paulo. Já os vocais, foram gravados na Califórnia. E a tecnologia favoreceu, pois temos uma sonoridade bem uniforme e intensa! 

                         Back to the 80's abre o álbum e de cara temos aquele hard malicioso, vocal despojado e muita adrenalina! "Let's Rock, Let's Roll, All around the world lose control! Hey you, let's go, We're going back... Back to the 80's!" Quer coisa mais hard rock que isso? E as guitarras que respiram aquela atmosfera "Sunset Strip"? Clássico instantâneo! Runaway Lover tem riffs inspirados em uns tais de Warren DeMartini e Robin Crosby... Sério mesmo... Se ninguém te avisar que se trata de uma banda brasileira (exceção à Rachelle) e que gravou esse disco em 2017, você diria é uma das bandas clássicas dos anos 80.  E tome mais hard "safado" em Hot Girls, Fast Cars! Sabe aquele refrão grudento? Então... Além disso, os riffs transbordam aquele clima "party all night" sem cerimônia. Já  a faixa que dá nome à banda (ou vice-versa), tem uma pegada mais hard n' heavy, sem perder sua veia anos 80. E a cozinha composta por Bento Mello (que é guitarrista da banda Sioux 66) e Edgar Avian, injeta uma dose generosa de peso, dando um tempero especial à composição.

                        E o que dizer de Perfect Love? Posso até parecer e soar repetitivo, mas qual fã de Ratt, Mötley Crüe (mais do início da carreira) não vai ficar com aquele sorrisão de satisfação ao ouvir esses riffs? Os backing vocals também merecem destaque, pois ficaram no lugar certo. Outro destaque do trabalho é Girls Wanna Party (In Augusta Street). Com um refrão cheio de malícia (o que esperar de uma faixa com um título desses, não é mesmo?) e com solos afiados, a composição mostra toda a pegada do grupo. Let It Shake, a faixa mais pesada do álbum, e por consequência, a mais heavy metal, tem baixo/bateria marcados, enquanto Rachelle mostra um lado seu mais versátil, explorando linhas mais próximas do heavy (dentro de suas possibilidades, que fique bem claro). Danger Zone é um cover de Kenny Loggins, que fez parte da trilha sonora do filem Top Gun - Ases Indomáveis, que que também fez parte da trilha sonora da vida de muita gente que agora está lendo esse texto. E o grupo soube colocar sua identidade, dando uma cara nova à composição, sem que precisasse modificar de forma substancial as linhas originais. O fechamento vem com Scary Movie, uma faixa totalmente anos 80. Seja no seu andamento, seja na letra, a faixa encerra o álbum, dano a certeza de que acabamos de ouvir um dos melhores (senão o melhor) álbum lançado neste país em 2017.

                       Neste blog, eu não tenho o costume d e resenhar trabalhos que não sejam enviados pelas gravadoras, assessorias ou pleas próprias bandas. Mas dessa vez, tive que abrir uma exceção: H.M.M.V. é um dos discos mais legais que ouvi nos últimos anos e que não poderia ficar de fora. Ainda mais tendo em vista que o Hard Rock é um dos estilos preferidos deste que vos escreve. A estréia do TALES FROM THE PORN é muito mais do que um simples debut. É um CD que mostra que o Brasil não deve nada a cena atual lá de fora. Se o Hard é sua praia, pode mergulhar sem medo! STAY HARD!



                           
                        Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário