Seguidores

domingo, 12 de novembro de 2017

THE NIGHT FLIGHT ORCHESTRA - AMBER GALACTIC (2017)



                     Pense em uma banda composta por músicos experientes e até mesmo consagrados dentro da música pesada, mas que pratica uma sonoridade que dosa de forma perfeita o pop dos anos 70/80, agregando as influências pessoais de cada um dos envolvidos. É exatamente isso que encontramos no terceiro e espetacular álbum do grupo THE NIGHT FLIGHT ORCHESTRA. AMBER GALACTIC, que chega por aqui através da parceria Shinnigami Records/ Nuclear Blast, é, sem nenhuma sombra de dúvida, um dos melhores trabalhos lançados em 2017! Se em "Infernal Affairs" (2012) e "Skyline Whispers" (2015), o grupo já mostrava que não tinha limites em suas composições, aqui, o nível de excelência alcançado pelo sexteto beira  a perfeição!

                           Formado por Björ Strid (vocal, Soilwork), David Andersson (guitarra, Soilwork),  Sebastian Forslund (guitarra), Sharlee D'angelo (baixo, Arch Enemy, Spiritual Beggars, entre outros), Richard Larsson (teclados) e Jonas Källsbäck (bateria), o grupo apresenta seu primeiro trabalho após assinas com a Nuclear Blast. São 10 faixas que navegam entre o pop, o rock, o hard, o heavy, a até mesmo, com a disco music dos anos 70. Tudo isso misturado poderia soar estranho, mas o que temos aqui, são composições que mostram toda a classe e categoria da banda, que como dito anteriormente, não se prende á rótulos e não vê limites na hora de compôr. Produzido pela própria banda, mixado pelo guitarrista Sebastian Forslund e masterizado por Thomas "Plec" Johansson, o álbum regatou uma sonoridade bem próximo daquela dos anos 70, mas que consegue ao mesmo tempo soar bastante atual e moderna.

                             O álbum abre com a sensacional Midnight Flyer ( que em sua introdução conta com uma narrativa feminina em português!), que possui uma ótima linha de teclados, que alinhada com o trabalho das guitarras, cria uma melodia bem próxima do hard/heavy doas anos 70. Star of Rio traz essa mesma perspectiva das guitarras e mostra toda a versatilidade de Björn Strid, pois o vocalista, acostumada a vocais bem mais agressivos no Soilwork, canta aqui de forma limpa e melódica com grande desenvoltura. Um certo "apelo" pop é o que temos em Gemini, uma faixa simples, mas de muito bom gosto. Sad State of Affairs é uma das melhores do homogêneo trabalho. Strid mais uma vez, se destaca com uma bela interpretação, enquanto  a melodia e levada, chegam em determinados momentos a lembrar o The Police (principalmente no momento da "paradinha" no meio da faixa). Jennie é uma bonita balada, com belos arranjos.

                            Domino é uma composição que poderia facilmente estar em algum trabalho lançado pela Motown Records em seus anos dourados. Impressionante a versatilidade dos músicos, ainda mais se pensarmos em seus grupos principais. E isso só mostra que o radicalismo (apesar de necessário algumas vezes), acaba por privar muitos de conhecer obras como essa. Josephine é outra faixa pop/rock com características setentistas e possui um refrão de fácil assimilação. Já Space Whisperer é uma das faixas que mais possui "peso" nas guitarras e que contrasta com os teclados cheios de climas melódicos criados pleo tecladista Richard Larsson. Something Mysterious possui linhas próximas da disco music. O encerramento vem com Saturn in Velvet, uma composição com levada hard rock e belas melodias.

                          O THE NIGHT FLIGHT ORCHESTRA não deve ser encarado apenas como um projeto paralelo dos músicos envolvidos. Tanto é que a banda já está em seu terceiro trabalho. E não é "qualquer" trabalho. AMBER GALACTIC, com a mais absoluta certeza, estará na lista de melhores do ano deste que vos escreve, independente do veículo que for. Uma música livre de preconceitos e com muita qualidade. Como diria o estre Glenn Hughes: FELL THE MUSIC! Com certeza, você não irá se arrepender!




                    Sergiomar Menezes             
           

Nenhum comentário:

Postar um comentário