Seguidores

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

BAD BEBOP - PRIME TIME MURDER (2017)



              A banda paranaense BAD BEBOP surgiu em 2015 com o objetivo de tocar Heavy Metal, mas sem abrir mão de sua influências, oriundas de outros gêneros. E ao ouvirmos o primeiro álbum do grupo, PRIME TIME MURDER, podemos dizer que o objetivo foi plenamente atingido! Fazendo uma música pesada, próxima na maioria das vezes do já citado heavy metal, o grupo consegue agregar influências do rock n' roll clássico, do punk, do hardcore, entre outros. O trio mostra desenvoltura em suas composições, pois não se prende a nenhum limite pré estabelecido, sendo que a única coisa que é recorrente em todas as faixas é o peso, principalmente no que diz respeito á guitarra.

                Juliano Ribeiro (vocal/baixo), Henrique Bertol (guitarra) e Celso Costa (bateria) trazem em sua estréia 08 faixas, onde o rock n' roll sujo e pesado dita o ritmo. Mas a música do trio não se restringe apenas à isso, uma vez que a cozinha acompanha de forma precisa o andamento mais agressivo que as composições da banda pedem. Isso mostra que a banda tem personalidade, apesar do pouco tempo de estrada. isso é mais que louvável, pois hoje em dia, não precisamos ir longe para encontrarmos bandas que apenas copiam outras sem se importar com aquilo que realmente importa: a música! Produzido pelo guitarrista Henrique Bertol, o álbum foi mixado por Felipe Debiasio enquanto  a masterização foi feita por Eraldo Cobra e Neto Grous no Absolute Master. E o resultado ficou ótimo, pois a sujeira que a música do grupo necessita está lá, sem que com isso, houvesse perda na sonoridade, pois tudo ficou no lugar. Ponto mais que positivo para o grupo. Além disso, o Cd vem em um belo Digipack, mostrando respeito pelos fãs.

                 O álbum abre com D.O.A. uma faixa bem pesada e com riffs fortes. Com um andamento cadenciado, a faixa traz elementos do rock alternativo, o que dá um molho especial á composição. E podemos perceber o bom entrosamento da dupla Juliano e Celso (baixo e bateria, respectivamente). Além disso, a voz de Juliano se encaixou muito bem, pois é rasgada sem soar forçada. Em seguida, Deceiver mantém o peso em alta, mas tem um ganho de velocidade, o que acaba sendo interessante, pois durante a execução da faixa, temos mudanças de andamento. Vicious começa de forma até que surpreendente, pois é mais "calma", mas logo em seguida, a guitarra de Henrique coloca tudo em seu devido lugar. Mais cadenciada, a composição traz um vocal bem variado mostrando que Juliano é bem versátil. Gone Wrong, talvez seja a faixa mais Heavy Metal do álbum, com um começo bem pesado, a faixa muda de direção rapidamente, trazendo elementos que até então ainda não haviam aparecido na música da banda. Algo até mesmo de southern aparece por aqui, mas o metal acaba se sobressaindo.

                  22 é uma faixa instrumental, que mostra que os músicos possuem "escola". Elementos de Jazz surgem em alguns momento, em uma composição bem diferente das demais. Trouble traz o peso de novo à tona. Que faixa empolgante, com um ótimo trabalho de baixo e bateria. Em alguns momentos, a música do Bad Bebop lembra um pouco o Black Label Society, mas sem perder sua identidade, pois o grupo tem personalidade, o que conta e  muito, a seu favor. Greed tem uma levada mais atual, moderna, mas mantendo as características do grupo, principalmente no que diz respeito ao andamento da faixa, pois é bem variada nesse sentido. O fechamento vem com River uma faixa puramente country/southern rock, como Zakk Wylde fazia nos bons tempos do Pride & Glory. 
                 
                    Em sua estréia, o BAD BEBOP mostra personalidade e uma sonoridade que vai agradar aos fãs de música pesada. Incorporando elementos de vários gêneros em sua música, mas tendo por base o heavy metal (mais precisamente em relação ao peso), o grupo prova que quer seu lugar ao sol no cenário nacional. PRIME TIME MURDER é um álbum pra ser ouvido e degustado. Como todo bom disco de rock deve ser.




                     Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário