Seguidores

sexta-feira, 30 de março de 2018

PLEASURE MAKER - DANCIN' WITH DANGER (2018)



               E o Hard Rock brasileiro mostra mais uma vez que não deve nada, mas absolutamente nada ao que vem sendo feito lá fora. Quer mais uma prova? Escute este sensacional DANCIN' WITH DANGER do grupo carioca PLEASURE MAKER! Inspirado em nomes como Def Leppard, Dokken, Winger e Ratt, o grupo fundado em 2001 pelo guitarrista e produtor Alex Meister, lançou dois álbuns - Love On The Rocks, em 2004 e que teve seu relançamento no Japão em 2006, e Twisted Desire, em 2008 - que obtiveram uma boa repercussão tanto na mídia especializada quanto juto aos fãs. Após encerrar suas atividades em 2010 devido aos projetos de seus integrantes, em 2017  o grupo retomou o caminho do hard cheio de malíscia e qualidade e nos brinda com esse grande lançamento!

                Formada por C. Marshall (vocal), pelo já citado Alex Meister (guitarra e backing vocal), Mark Sant'anna (baixo) e Adriano Morais (bateria e backing vocal), a PLEASURE MAKER resgata aquela pegada Hard anos 80, mas sem soar datada, ou seja, agrega suas influências sem que perca sua personalidade. Muito disso se dá pelas composições e pela mente criativa de Alex, que sabe bem aquilo que quer. O trabalho, pode até surpreender em um primeiro momento os fãs mais antigos da banda, pois as guitarras receberam uma atenção especial, chegando a ficar mais "à frente" em alguns momentos. Mas isso só deixou o álbum ainda melhor, pois a melodia, uma das características do grupo, ganhou mais peso e intensidade. Produzido pelo guitarrista Alex e mixado e masterizado por Henrique Canale "Baboom", o trabalho foi lançado pela Animal Records.

                 Abrindo com "Dancin' With Danger", a faixa título, o grupo já mostra que a pegada continua a mesma, apenas com uma certa adição maior de peso na guitarra. Percebe-se que os vocais de C. Marshall possuem um timbre bem peculiar o que possibilita uma maior possibilidade de variações nas composições. Riffs inspirados são muito bem amparados por uma base sólida, à cargo de Mark e Adriano (baixo e bateria, respectivamente). "Chains of Love" possui uma pegada bem 80's, e ganha mais destaque pelos backing vocals muito bem encaixados no refrão, que além disso, possui uma melodia marcante. Já "It Ain't 'Bout Love" tem uma linha mais próxima da fase mais clássica do Dokken, tendo seu diferencial no vocal de C. Marshall. E mais uma vez, a faixa, como as demais do álbum, traz um refrão de fácil assimilação. "On The Other Side of Midnight" é mais cadenciada e apesar desse direcionamento, se mostra uma composição bem executada, deixando à mostra a versatilidade do grupo. Acelerada, "Rock the Night Away" é daquelas faixas perfeitas pra se ouvir bebendo uma cerveja bem gelada! "Flesh and Blood" traz consigo toda a influência que Alex possui de nomes como Warren deMartini e Robin Crosby. 

                    O Hard segue em alta com "Lonely is the Night", faixa tipicamente 80's, e mais uma vez, com uma pegada "Dokken" nas linhas de guitarra. Ou seja, George Linch também está entre as ótimas influências de Alex Meister. "Out There" tem cara de balada, mas possui guitarras mais "pesadas", transformando a faixa numa "power ballad", se é que podemos dizer dessa forma. Apesar da boa composição, a faixa é um dos Pontos (poucos, que fique claro) fracos do álbum. "Never Look Back" traz de volta a aura Hard Rock festivo, tendo como destaque a cozinha, que mantem a levada bem marcada e cadenciada de forma bem trabalhada. "A Matter of Feelings" sim, merece destaque como uma grande balada! Bem estruturada e com uma bonita melodia, a faixa é um dos grandes (entre tantos outros) momentos do CD. O álbum encerra com um "rockão" daqueles: "Runnin' Out of Time", uma faixa totalmente hard! Como bônus da versão japonesa do CD temos a faixa "She's Gone Too Far", que poderia estar na versão regular, o que daria um brilho extra ao trabalho.

                   Não tenho dúvidas que, mesmo estando apenas no mês de março, DANCIN' WITH DANGER estará na minha lista de melhores do ano. Composições melódicas e ao memso tempo fovadas nas guitarras, vocais característicos e aquela pegada Hard que só quem tem a manha sabem como fazer, fazem deste novo álbum do PLEASURE MAKER um dos melhores do ano! Stay Hard!




                Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário