Seguidores

segunda-feira, 24 de julho de 2017

THE DOOMSDAY KINGDOM - THE DOOMSDAY KINGDOM



                Existem ditados populares que muitas vezes se encaixam com perfeição em inúmeras situações. Um dos mais comuns, mas que sempre resume bem determinados fatos é aquele bom e velho "quem foi rei, não perde a majestade". E esse, se encaixa de forma perfeita quando falamos do álbum de estréia do THE DOOMSDAY KINGDOM. Isso que, por trás dessa empreitada está ninguém mais, ninguém menos do que Leif Edling, baixista e compositor de uma das mais fundamentais e importantes bandas do Doom Metal, o grande Candlemass. E aqui, nesta sua nova banda, Leif segue sendo um mestre, compondo de forma magistral, como sempre fez. E isso pode ser comprovado, graças ao lançamento nacional feito pela parceria Shinigami Records/Nuclear Blast.

                    Composto por Niklas Stälvind (vocal), Marcus Jidell (guitarra), pelo próprio Leif (baixo) e Andreas (Habo) Johansson (bateria), o grupo só vem a confirmar o talento e genialidade do baixista que ainda é baixista no Avatarium (que recentemente lançou seu terceiro full lenght, e que logo mais terá sua resenha publicada aqui neste blog), e mantém o Candlemass na ativa. Ou seja, trabalho é o o que não falta ao músico. E todos mantém um nível de qualidade muito, mas muito acima da média. Aqui, temos oito excelentes composições que mantém certa proximidade ás outras bandas do baixista, mas com uma personalidade própria. algo que só quem tem "conhecimento de causa" pode fazer sem medo de errar. Cercado por ótimos músicos, a estréia do THE DOOMSDAY KINGDOM agradará aos fãs do estilo, sem que precisa fazer nenhum esforço.

                   Silent Kingdom abre o álbum de forma grandiosa. Com riffs inspirados no mais puro e sombrio doom metal, a faixa ganha peso e uma maior dinâmica ao incorporar elementos do metal tradicional. Destaque para o vocalista Niklas que possui um timbre bem peculiar e usa de variações bem interessantes em sua voz. Assim como guitarrista Marcus, que esbanja classe e bom gosto nas linhas de guitarra. The Never Machine traz aquela aura "Black Sabbath" que sempre acompanha as bandas de doom metal. Leif mostra toda sua técnica com um trabalho primoroso que recebe o complemento do batera Andreas. Uma cozinha que pesa a mão sem piedade. Já Spoonful of Darkness possui linhas muito bem estruturadas, onde mais uma vez, o guitarrista Marcus se mostra um músico de grande técnica. A bela instrumental See You Tomorrow é uma canção intimista e introspectiva, que mostra um lado mais simples e ao mesmo tempo trabalhado na forma de compôr do músico.

                      The Spectre tem uma atmosfera mais obscura e pesada, carregando um clima sombrio em sua execução, mesmo que em alguns momentos a mudança de andamento quebre um pouco esse andamento. Hand of Hell tem uma pegada mais "metal", principalmente no que diz respeito ao riff, que mantém um peso bem característico durante toda sua execução. A faixa ainda possui um belo solo, dentro da proposta da própria composição. The Silence traz consigo toda a bagagem de Leif, pois é daqueles obras primas que só os mestres sabem como criar. Preste atenção nas linhas de guitarra que traduzem de forma contumaz todo o estilo de composição de Leif. O encerramento vem com The God Particle, outra obra grandiosa. Uma aula de doom metal. Como todo o álbum.

                       Leif  Edling poderia estar tranquilo, desfrutando de uma "aposentadoria", depois dos inúmeros serviços prestados ao heavy metal. Mas, felizmente, mostra que tem ainda, muito o que oferecer ao estilo. e o trabalho de estréia do THE DOOMSDAY KINGDOM deixa isso bem nítido. Que a fonte, que parece inesgotável, siga nos brindando com trabalhos grandiosos e excelentes como esse!




                    Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário