Seguidores

sábado, 4 de novembro de 2017

FALLEN IDOL - SEASONS OF GRIEF (2016)



                  Não é de hoje ( e quem lê esse blog sabe disso), que as bandas brasileiras vem apresentando um ótimo nível. E na maioria das vezes, muitas dessas bandas não deixam nada a dever pra muita banda gringa. Seja nas composições, seja na produção, ou até mesmo, na apresentação gráfica. E a banda paulista FALLEN IDOL encontra-se neste time. Tendo lançado seu segundo álbum em 2016, SEASONS OF GRIEF (cerca de um ano após lançar seu autointitulado debut, algo raro hoje em dia), o grupo mostra que evoluiu rapidamente, mantendo suas raízes no doom metal, com influência de nomes como o grande Cathedral, por exemplo. E a cada audição, o trabalho se mostra mais e mais técnico e carregado de  feeling.

                          Formada por Rodrigo Sitta (vocal e guitarra), Márcio Silva (baixo) e Ulisses Campos (bateria), a banda surgiu em 2012 com o intuito de praticar um doom metal mais tradicional, com a marca registrada dos anos 80, buscando agregar à sua sonoridade as influências de nomes como Black Sabbath (eterna referência do estilo), Candlemass, Celtic Frost, Paradise Lost, entre outros. E mesmo assim, o trio conseguiu imprimir sua personalidade em composições recheadas de classe e bom gosto. E, como dito lá em cima, isso não se restringiu apenas à música do grupo. A CD vem em um belo digipack, mostrando a preocupação da banda em entregar ao público um trabalho de nível. Assim como a produção, limpa, cristalina e que mesmo assim soube valorizar o peso que o doom necessita em sua execução. Méritos do produtor André Marques. E cabe ressaltar que o trabalho é dedicado ao vocalista Alex Rangel, do Attomica, que faleceu no ano passado.

                          A faixa título abre o play, com guitarras melódicas, que não abrem mão do peso, com ótimos riffs. Esse contraste é uma constante durante a execução do trabalho, o que deixa claro o bom gosto do grupo na hora de compôr, uma vez que sua sonoridade não se restringe aos limites impostos. O vocal de Rodrigo também é um diferencial, pois foge daquela linha gutural. Nobody's Life tem muito de Black Sabbath em seus riffs, algo inevitável, uma vez que Mr. Tony Iommi pode ser considerado o pai do estilo (de todo o heavy metal, diga-se de passagem), a cozinha composta por Márcio e Ulisses (baixo e bateria, respectivamente) deixa tudo pesado, sem exageros. Mais peso é o que temos em Unceasing Guilt, uma das melhores faixas do trabalho. As linhas vocais se encaixaram muito bem na estrutura composta, dando um clima bem sombrio e intenso à composição. Heading For Extinction tem uma maior dose de energia, mais acelerada, fugindo um pouco do que vinha sendo apresentado nas faixas anteriores. Mas isso é muito bem vindo, uma vez que deixa claro ue o grupo fica à vontade para criar linhas variadas. The Boy and the Sea é outra bela faixa, que ganhou um vídeo que está presente na coletânea ROADIE METAL DVD Vol. I.. Worsheep Me (título bem sacado!) tem linhas arrastadas e os vocais apresentam uma dose mais intensa de feeling. O encerramento vem com a "sabbathica" Satan's Crucifixion.

                         SEASONS OF GRIEF, um trabalho que veio rapidamente na sequência do álbum de estréia do FALLEN IDOL, mostra o ótimo momento criativo que o trio paulista vive atualmente. Composições fortes, técnicas e bem trabalhadas fazem deste trabalho uma evolução natural do já vinha sendo feito com qualidade pelo grupo. Ficamos no aguardo do que o grupo nos apresentará no próximo CD!




                  Sergiomar Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário